11 de julho de 2007

Canção do Bardo sobre a convocação do ser

parte oculta de todo o ser
o nome
tudo encerra e desventra

é por isso que amar
- o equivalente da linguagem
há muito ocultada -
é o poder de designar

vem que eu chamo
pelo teu nome
que aprendi a conhecer
só de ver o teu olhar

e pelos teus pés
vem comigo percorrer
o solo que eu junquei
de palavras

Etiquetas:

3 Comentários:

At 11/07/07, 14:34, Blogger a miúda comentou...

Bonito.
:)

 
At 12/07/07, 20:58, Blogger Teresa Duraes comentou...

(tenho medo de levar uma bofetada virtual...)

não será demasiado chamar "convocação" ao poema?.... a palavra remete à magia e....

(fugi...)

 
At 14/07/07, 01:37, Blogger maria carvalhosa comentou...

Bonito poema do Bardo. Julgo que compreendo esta "convocação"... afinal, o enamoramento convoca o ser completo de um indivíduo para o
objecto amado. Há, de facto, uma convocação interna, ainda que inconsciente, de todos os sentidos, emoções e sentimentos para um determinado ponto exterior ao "eu". E, sim, pode chamar-se mágico o estremecimento que sinto só de ouvir o teu nome, se estiver apaixonada por ti.

 

Enviar um comentário

<< Página inicial