25 de junho de 2007

Canção do Bardo sobre o desejo da vida

ah! não choreis
amigas minhas
talvez um dia?
quero acrescentar uma palavra só
a tudo o que já foi dito

quero apascentar os gestos
que escorrem dos meus dedos
quero dar vida
às visões que aderem
aos meus olhos
quero estar perto
se me distancio
quero padecer
e ser fonte
e jorrar alegria

quero regredir
e apascentar os gestos
que escorrem dos teus dedos
tua mão me desafia

quero regredir
e sonhar as visões
que se desprendem
dos teus olhos
- mesmo se o teu olhar
me arrepia

quero regredir e estar perto
daquela que de mim
se distancia

quero fazê-la regressar
à minha companhia

Etiquetas:

3 Comentários:

At 26/06/07, 17:30, Blogger Teresa Durães comentou...

"daquela que de mim
se distancia "

esse bardo não sabe que não é a vida que se distância mas sim ele da dita?

 
At 27/06/07, 10:07, Blogger Perdido comentou...

:-)

Esse bardo provavelmente não sabe nada, mas não desiste de bardar. Conheces o ditado "quanto mais bardo, mais parvo"? Em sentido etimológico, claro, porque o ditado foi inventado no tempo dos lusitanos durante a ocupação romana.

 
At 28/06/07, 16:56, Blogger Teresa Duraes comentou...

não, não conhecia , mas o ditado é engraçadíssimo!!

 

Enviar um comentário

<< Página inicial