15 de agosto de 2010

O ponto de interrogação

Na newsletter do Portal do Cidadão, única newsletter que tem direito a cidadania no meu mail, refere o seguinte título:

  1. Operação 'Resgate Fiscal' recupera ? 812 milhões
O ponto de interrogação afigurou-se-me, de imediato, um mistério:

(a) Se a frase é uma pergunta porque não vem o ponto de interrogação no final da frase?
(b) Se não é, porque traz um ponto de interrogação? Como antecede a quantidade enunciada põe em dúvida, provavelmente, o rigor da quantificação. Não haveria, assim, uma certeza rigorosa se seria essa a quantidade recuperada. O que não é de estranhar com os nossos políticos. Desde Guterres, passando por engenheiros e doutoras, criou-se o hábito de mandar um número qualquer para o ar, do género: "...e que tal? amanhã almoçamos às 3 e meia da manhã?"

Afinal a explicação é muito mais simples e vem um pouco mais abaixo na notícia para que remete o link daquele título, que se repete, mas da seguinte forma:

  1. Operação 'Resgate Fiscal' recupera € 812 milhões
Afinal a dúvida diz respeito ao Euro... Como já não sabemos se este está para ficar, e já não dando para pôr o cifrão do escudo, contentemo-nos em substituir "" por "?" .

O que é isso comparado com 812 milhões?

3 Comentários:

At 16/08/10, 11:17, Blogger Justine comentou...

Olá Rui mais as tuas dúvidas existenciais! Mas está tudo certo nessa tal frase, o euro é mesmo um enorme ponto de interrogação!
Quanto aos gatos, e como tu tão bem sabes, são sempre fonte de iluminação na subtiliza, na elegância, na graciosidade.
Abraço de uma dona "babada":)))

 
At 17/08/10, 19:40, Blogger segurademim comentou...

... boa questão Rui

mas entre tantos símbolos e sinais, scuts e outras que tais, é mesmo para nos partir a cabecinha!!

moral da estória: evitar o portal, restaurar o postal
que postal? não sei!
olha, entrei nas interrogações :))

 
At 19/08/10, 16:37, Blogger legivel comentou...

... cá por mim acho que o Euro se deve manter. O Euromilhões, claro. Porquê? Porque jogo, é evidente e só não sai a quem não joga. No próximo sábado vou jogar: futebol de cinco, sendo eu o sexto jogador. Avançado na bancada lateral ou colocado atrás da baliza do adversário entretendo o guarda-redes com anedotas picantes. Ele fica de tal modo espicaçado que escorrega no próprio sangue e a minha equipa aproveita para marcar golos, ganhar campeonatos e muitos Euros. Se fossem Escudos era uma complicação dos diabos, pois eram também necessárias as Armaduras e as Espadas para fazer face ao custo de vida inimigo.

Abraço.

 

Enviar um comentário

<< Página inicial